Congresso de Procuradores promove debate sobre a Reforma da Previdência

Flávio Gomes de Barros, presidente da APE, prestigiou o evento realizado em Curitiba

Por Em Contexto Comunicação

O presidente e o vice-presidente da Associação dos Procuradores do Estado de Alagoas (APE/AL), Flávio Gomes de Barros e Marcos Savall, respectivamente, participaram do 1º Congresso dos Procuradores dos Estados da Região Sul, realizado na última sexta-feira (17), em Curitiba. O evento, promovido pela Associação dos Procuradores dos Estados e do Distrito Federal (Anape) e pela Associação dos Procuradores do Estado do Paraná (Apep), teve a reforma da Previdência como tema central.

Marcello Terto e Silva, presidente da Anape, abriu o congresso falando sobre a importância de eventos desta natureza para a discussão de assuntos que têm reflexo na sociedade brasileira. “A promoção desses congressos é uma forma de contribuirmos para o debate social de questões que afetam o Brasil na atualidade. A reforma da Previdência é uma delas, mas que ainda precisa ser melhor discutida, com maior clareza”, declarou.

O congresso contou com seis palestras, que trataram, por diferentes vieses, acerca da reforma que tramita no Congresso Nacional. O 1º vice-presidente da Anape, Telmo Lemos Filho, foi um dos expositores. Com o tema “Panorama geral dos benefícios previdenciários dos servidores públicos sob a ótica da PEC 287/2016”, o procurador pelo Estado do Rio Grande do Sul e especialista em Direito Tributário abordou as regras de transição da proposta.

 

“Não podemos sair de uma aposentadoria precoce para aposentadoria do morto. A proposta de reforma da Previdência como está não pode prosperar porque adota alguns critérios inacreditáveis. Fazer algum tipo de reforma é importante, mas é preciso debater com mais profundidade”, afirmou Telmo.

 

Marcello Terto também se manifestou a respeito do assunto e defendeu que a reforma deve ser mais transparente. “Temos pessoas com 40 anos de idade e 20 de contribuição, e isso não está contemplado nas regras de transição da proposta de reforma. O Regime Próprio da Previdência não é tão deficitário”, alertou.

As demais palestras trataram das disposições transitórias e do princípio da igualdade; dos aspectos gerais, verdades e mitos da proposta; da Previdência como direito social; e das hipóteses atuais de aposentadoria e possibilidades de contagem.

 

Expositores

Os expositores participantes foram o professor de Direito Administrativo e presidente do Instituto Brasileiro de Direito Público e do Instituto de Direito Administrativo da Bahia, Paulo Modesto; o advogado e consultor na área de Previdência Social e acidentes de trabalho Leonardo Ziccarelli Rodrigues; a advogada e diretora científica do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário, Melissa Folmann; a procuradora do Estado do Paraná e conselheira da OAB-PR Isabela Cristina Martins Ramos; e a professora, conferencista e consultora empresarial Cláudia Salles Vilela Vianna.

Além dos palestrantes, também estiveram presentes o presidente da Associação dos Procuradores do Estado de Santa Catarina (Aproesc), Luiz Dagoberto Corrêa Brião, e o procurador-geral do Paraná, Paulo Sérgio Rosso.

 

Com informações Ascom Anape.