APE recebe Cícero Almeida em debate eleitoral

A APE recebeu em sua sede o candidato a prefeito de Maceió Cícero Almeida, do PMDB, na tarde desta terça-feira (13)

Por Em Contexto Comunicação
Debate APE - Cícero Almeida

A Associação dos Procuradores do Estado de Alagoas (APE/AL) recebeu em sua sede o candidato a prefeito de Maceió Cícero Almeida, do PMDB, na tarde desta terça-feira (13). Segundo a participar da série de debates promovida pela entidade de classe, o candidato estava acompanhado do vice Galba Novaes e apresentou algumas de suas propostas para a capital.

Radialista e cantor, o político esteve à frente da administração municipal por dois mandatos, entre os anos 2005 e 2012, e atualmente exerce o cargo de deputado federal por Alagoas, estando licenciado para a participar da campanha eleitoral.

Na ocasião, Cícero Almeida também comentou sobre a gestão de seu sucessor, o atual prefeito Rui Palmeira (PSDB), e respondeu a diversas perguntas feitas pelos associados. Confira:

Terceiro mandato

“Resolvi me candidatar porque não estou satisfeito com a atual gestão. Nesse tempo que passou pude dar atenção à minha saúde, à família, agora me sinto disposto, preparado e otimista para cuidar de Maceió novamente. Eu acho que só deveria existir um mandato de cinco anos para todos, mas já que a legislação permite, quero essa nova oportunidade.”

Advocacia Pública

“Na minha gestão nós fortalecemos e valorizamos os servidores, prestigiamos os procuradores municipais. Continuaremos a fazer isso, porque sei que são eles que dão respaldo e segurança para a gestão, nós precisamos desse suporte. À época também criamos a Controladora do Município, demos um grande passo. Se o procurador-geral será integrante da carreira? Antes de assumir esse compromisso preciso ganhar as eleições.”

Mobilidade urbana

“Com a obra do Vale do Reginaldo, resolveremos o trânsito da Fernandes Lima e vamos melhorar a Via Expressa. Na minha gestão investi bastante no transporte, mas a cidade não foi planejada, não há um arquiteto ou engenheiro que diga que tem uma solução para melhorar o trânsito de Maceió. Naquela época, as isenções do governo permitiram que todos comprassem seu carrinho, as pessoas aproveitaram e agora temos muitos carros na cidade. Será fundamental buscar alternativas em parceria com o governo federal para isso. Deus vai nos orientar para sabermos o que fazer.”

“Os pardais não ajudaram em nada, vou desativar todos. Eu que inaugurei o sistema de videomonitoramento nas escolas e ruas da cidade, são mecanismos como esses que inibem a violência e as infrações, não os tais pardais que só servem para multar o condutor.”

“Também vou acabar com aquela faixa de ciclistas na Av. Dep José Lages, pois da forma como foi feita somente coloca vidas em risco. Outra questão é retirar as motos que circulam no meio da Fernandes Lima, vou estudar possibilidades de deixar vias livres específicas em grandes avenidas para motociclistas e ciclistas.”

Reforma política

“A reforma política foi uma porcaria, votei contra, mas fui voto vencido. Eu não tenho algumas preocupações porque nunca comprei voto. Mas hoje temos muita dificuldade de pagar as pessoas que trabalham na campanha sem a doação. Do fundo partidário recebi o equivalente a R$ 400 mil e eu mesmo doei R$ 300 mil para minha própria campanha. A reforma disciplinou, mas não inibiu o comprador de voto. Se neste país as leis fossem respeitadas e as pessoas punidas, seria ótima a reforma. Mas não é bem assim. Estamos indo no peito e na raça.”

Máfia do lixo

“Me envolveram nisso, uma coisa que não me compromete. Quando assumi a prefeitura, verificamos que a Kátia Born (ex-prefeita) devia há 4 meses a empresa do lixo. Nós pagamos dentro da legalidade, com o aval e respaldo jurídico. A dívida anterior que não era nossa responsabilidade, então mandei transformar em precatório. Isso é crime? Não existe nada que comprometa nossa gestão, inclusive naquela época nenhum fiscal nos alertou sobre qualquer irregularidade.”

Palavras do candidato a vice-prefeito, Galba Novaes:

“Hoje um procurador do município ganha igual a um desembargador estadual em Alagoas, por meio de uma emenda à lei orgânica, feita pelo Cícero. Isso é valorização. Na nossa gestão, 50% dos comissionados serão de funcionários efetivos, seguindo esta mesma ideia.

“Me decepcionei muito no legislativo, por isso estou aqui hoje. A ausência do executivo na periferia é enorme, por isso criei uma fundação que hoje dispõe de 14 médicos e tem o maior centro de fisioterapia do estado, tudo com apoio da iniciativa privada. A política do PSDB é de estado mínimo e eu não concordo com isso, o modelo não funciona aqui. Confio muito na administração do Cícero, estamos imbuídos do propósito de melhorar a qualidade de vida da população de Maceió.”
Fonte: Ascom APE
Foto: Wesley Menegari